26 de out de 2008

O olho de um Palhaço: Clown na arte da fotografia




O olho de um Palhaço: A visão surreal, bonita e horrorizante do percussionista Shawn Crahan.

Como vocês devem saber, além de tocar percussão no Slipknot e bateria no Dirty Little Rabbits, Clown também é um fotógrafo sério.

Quando ele não está compondo ou criando música, geralmente está manipulando câmeras modernas, filmes Polaroid, scanners ou Photoshop pra criar imagens que são tanto bonitas quanto perturbadoras. Quando ele está criando porta-retratos, Shawn inspira seus cliques em seus próprios medos, frustrações e fascinações com sexo, morte e sonhos. O Headbanger's Blog está fazendo com Shawn Crahan uma série semanal de imagens, veja a primeira foto de Clown da série e leia seu fascinante e bizarro comentário.




"É basicamente um auto-retrato de uma máscara do Iowa que eu vesti. Auto-retratos, pra mim, são um dos mais fundamentais e importantes aspectos de experimento com minha própria arte. Eu nunca gostei muito de como eu sou fisicamente, então estou sempre explorando a mim mesmo. Analiso meu corpo inteiro através da fotografia como uma forma de me abrir e deixar muitos medos meus irem embora. É um experimento que estou fazendo pra me curar um pouco em relação à forma que eu me sinto comigo mesmo.

Este é um dos meus auto-retratos favoritos, porque foi num momento muito difícil da minha vida. Eu tinha essa máscara escura feita e eu literalmente a vesti no palco por duas vezes por mais ou menos 30 segundos. Simplesmente não funcionou. Não sei se era o látex ou os outros materiais que a compõem ou simplesmente o que senti, mas não encaixou. Me explorei muito sozinho com essa máscara em particular durante o ciclo do Iowa.

Pra mim, isso é um bom exemplo de um auto-experimento por intermédio de uma escolha - essa escolha foi a fotografia. Então, isso sou eu confrontando meus medos e é muito pesado pra mim, porque está sempre na máscara, ou poderia estar fora da máscara. Na verdade elas são a mesma coisa.

Em relação a imagem, é uma foto digital. Eu manipulo câmeras. Digamos que as desmonto. Por exemplo, tem um porta-filme atrás das câmeras de filme, e tem todo aquele mecanismo que mantém o filme fixo. Bem, eu vou tirar isso, então o filme estará flutuando e nada encaixará. Essa foto em particular foi feita com muitos vidros e camadas de coisas na frente. Mas é tudo líquido e cores. O que eu faço basicamente na minha arte é montar tudo depois que a foto está feita.

Sempre houve um problema com a profundidade da realidade na fotografia, principalmente se você vai trazer isso para uma realidade tocável, porque quando você quer usar tinta e papel, fica bem diferente de olhar isso numa tela. Então eu coloco estas imagens em algo como o Photoshop e deixo preto o que é preto e branco o que é branco. É assim que você destaca o vermelho um pouco mais. Depois de tirar as fotos, você as retoca. É a revisão. E revisão é uma coisa muito necessária.

Tenho essa foto desde 2001 e a revizei uma dúzia de vezes. Até me embaralhei um pouco com o brilho e contraste ontem antes de enviá-la, pois estou num novo laptop e a foto esteve parada num disco rígido por muito tempo, ela criou independência. Quando foi exibida ontem, ela tinha algumas coisas a dizer."

Um comentário:

vagabundo disse...

noossa maneiro é legal quando a banda slipknot ñ chama shawan para tocar ele nada alem disso ele faz fotografia com seus semtimentos maneiro gostei