5 de fev de 2009

#6 Clown -Um cara normal ¬¬



O site telegram.com postou uma matéria com o percussionista do Slipknot Shawn "Clown" Crahan. Confira a tradução do artigo e da entrevista abaixo:
***

Por 10 anos o Slipknot tem sido uma das bandas mais ferozes do planeta.
A banda de nove membros de Des Moines, Iowa, são mais conhecidos por seus shows de horror - Sessões de fotos da banda são o suficiente para dar um mero pesadelo por semanas - Mas têm ganhado respeito entre os metaleiros por seus intensos e perigosos shows.As bagunças do Slipknot no palco levaram a inúmeras lesões, contusões e ossos quebrados - e isso entre os membros da banda.No ano passado o Slipknot lançou seu quarto álbum "All Hope Is Gone", título que praticamente resume a visão de mundo da banda. Mas de acordo com o percussionista e porta-voz, Shawn 'Clown' Crahan, as coisas na banda nunca estiveram melhores.Como prova, "All Hope Is Gone" foi o primeiro álbum da banda a alcançar o número 1 na lista da Billboard. Nós falamos com Clown nesse mês e descobrimos que o louco do bastão de baseball é surpreendentemente normal e um animado tagarela.No lar em Iowa"Eu estou sentando na minha sala de estar, na minha casa em Des Moines, Iowa. Nós acabamos de terminar 10 semanas de turnê pela Europa, Japão e Austrália e todas essas coisas boas. Dez semanas é um bom tempo para sair em turnê, principalmente na Europa, sendo completamente o oposto do que é aqui. Então eu tenho que dizer que esses últimos 14 dias foram de muita ansiedade; estamos prontos para vir para casa e descansar."Celebração de Natal"O Natal foi fantástico. Nós ficamos em casa e fizemos aquela coisa em familia - nós não saímos como costumamos fazer. Eu tenho quatro filhos e minha esposa. Nós fizemos nossas coisas, só nós seis, então foi muito bom. Nós compramos um Nintendo Wii. Nossa meta era acordar, abrir os presentes e jogar video-game e 'Rock Band' e tudo mais. Eu não sou muito bom em jogos. Eu gosto de 'Rock Band' por que você tem o microfone, a bateria e a guitarra. Eu tentei tocar a bateria, mas não era como tocar uma bateria de verdade, eles tiveram que fazer no formato do jogo, então foi bem difícil, na verdade. Eu estava pegando o jeito muito bem. Eu sou um aficionado por estes jogos. Obviamente, não vai fazer você aprender a tocar esses instrumentos, mas te ajuda com o ritmo e o compasso. Eu toquei guitarra só pra mover os dedos mais rapidamente, então foi bem divertido. Nós começamos do começo. Eu acho que fiquei preso numa música por um dia. Meu filhos diziam, 'Vamos lá, papai!' E eu disse, 'Eu desisto, terminem essa pra mim' É bem frustrante.É uma vida maravilhosa"Eu sempre penso que minha vida é um filme por que eu estou felizmente casado há 16 anos com minha melhor amiga. Nós só temos um casamento impecável com altos e baixos, que eu não ia querer de outro jeito. E eu tenho dois garotos, duas garotas que são saudáveis, e eu estou numa enorme banda de metal. Minha vida, para mim, é uma perfeita fotografia."Na estada novamente"Uma coisa que eu aprendi nesse negócio é: em primeiro lugar, eu viajo. É isso que eu faço. Álbuns são ótimos, vídeos são ótimos, entrevistas são ótimas, todas essas coisas são ótimas. Mas a maior extensão de sua arte é poder dividir isso com o mundo, e eu sempre acreditei que dominação do mundo significa você estar determinado a sair da casa em Des Moines, Iowa, e levar sua doença, sua dor, sua arte para um lugar tão longe quanto... a Rússia. O Slipknot recentemente tocou na Rússia. Nós estamos fazendo isso por 10 anos, e nunca estivemos na Rússia. Haviam umas 12.000 pessoas no show. É aí que a realidade por trás de sua arte se torna verdade."Em direção oposta ao metal:"Eu nem sou um metaleiro. Isso não significa que eu não goste, só significa que eu venho de uma cena totalmente diferente e de um jeito totalmente diferente de pensar. Eu estava indo para faculdade. Eu queria ensinar a história da arte. Eu quero pintar e fazer fotografia e poesia. Eu sou um tipo de cara Renascentista; Eu tenho na minha mão um pouco de tudo. Quando pintar não funciona, eu vou para fotografia. Quando fotografia não funciona, eu escrevo músicas. Quando músicas não funcionam, eu escrevo alguma poesia ou uma pequena história."Pronto para aprender“Os ultimos 10 anos foram de pura honra e aprendizado. Todos os dias eu digo para as pessoas que apontam o dedo para nós que eu tenho PHD em rock and roll. Entende o que eu digo? Eu tenho 10 anos de seguidas turnês. Eu posso te falar sobre os palcos; eu posso te falar sobre grandes caminhões; eu posso te falar sobre o dia-a-dia; eu posso te falar sobre gravações, letras, arte, fotografia, vídeo - de HD a mini DV; E a lista se extende cada vez mais, com o que tivemos que preencher nossas mentes. Ganhando Grammys; ganhando como melhor vídeo; pessoas indo à loucura com nossa música; processos; mortes; instituições de caridade. E por aí vai."
Fonte: http://www.telegram.com/

Nenhum comentário: